Sonntag, 30. Januar 2011

Bremen é linda

Sabe esses momentos nos quais a gente finalmente enxerga uma coisa que estava debaixo de nosso nariz? De vez em quando tenho uns momentos desses. Momentos assim são mágicos e me fazem perceber que algo de criança ainda vive em mim. Me sinto como uma pessoinha recém chegada nesse mundo, se deslumbrando com uma coisa novinha em folha. Esse novo olhar para algo que já tinha visto milhões de vezes, me enche de felicidade, porque me dá a esperança de que a vida possa ser sempre assim, com possibilidades infinitas de se surpreender e encantar. Eu tenho isso com coisas, situações, pessoas, cidades... 



Bremen é uma dessas cidades encantadoras onde eu vivo revendo coisas como se fosse a primeira vez. Eu me apaixonei por ela exatamente por sua capacidade de me surpreender constantemente. Essa cidade me faz surpresinhas com suas estações do ano diferentes, com suas ruazinhas, com sua história que vou descobrindo de pouco em pouco por culpa de meu alemão ruinzinho. Por isso convido vocês a me acompanharem em um city tour por essa cidade lindinha como a estorinha dos Saltimbancos que infelizmente não tiveram a sorte de chegar até aqui.
Os músicos de Bremen

Sonntag, 23. Januar 2011

Verdadeiro ou Falso - Transporte Público

Conforme prometido no meu post anterior, acaba de ser inaugurada aqui a seção Verdadeiro ou Falso. Com essa brincadeira eu pretendo oferecer algumas informações práticas e meu ponto de vista sobre certos assuntos que parecem meio confusos pra quem não conhece a Alemanha tão bem. Espero também com isso  gerar discussões e questionar esteriótipos. 



Tansporte Público:



O que dizem por aí: "Os metrôs na Alemanha não tem catraca nem cobrador. Você compra passagem se quiser. Ninguém tá nem aí se você comprou ou não o bilhete."



Falso e pode doer no bolso. Os transportes públicos na Alemanha realmente não tem catraca nem cobrador, mas têm essa maquininhas dentro dos bondes e de alguns ônibus.
 
Máquina onde se pode comprar a passagem se você tiver um cartão especial para isso


 
Máquina onde se pode validar a passagem

Caso no ônibus não haja uma dessas máquinas, o passageiro deve dirigir-se ao motorista e comprar a passagem diretamente com ele. Se você comprou seu bilhete antes, ele deve ser validado através de um carimbo da segunda máquina, a vermelhinha. Aqui em Bremen o sistema está em transição.  A intenção é de automatizar todo o processo de compra de bilhetes e por isso os ônibus mais novos tem as máquinas de compra e os mais velhos muitas vezes não. Detalhe que muitas dessas maquininhas de compra - a azul, só lhe vende a passagem se você tiver um cartão especial para esse fim. Caso não tenha, tem de comprar a passagem com o motô e aí nesse caso não precisa validar.
Comprar uma passagem de ônibus ou bonde aqui em Bremen é uma coisa extremamente confusa e impossível para um turista que não fala alemão decifrar. São raros os postos de informações, o caminho para chegar até eles só é indicado em uma pequena área do centro da cidade e é raro achar alguma informação em inglês. Em defesa da Alemanha tenho a dizer que eles tem se esforçado bastante pra melhorar isso em cidades internacionais como Bremen e nas maiores como Berlim, Colônia ou Hamburgo creio que inglês não seja um problema. Mas os ônibus e bondes sim!

Apesar de não ter um cobrador dentro dos ônibus e bondes, existe aqui o que se chama de "Kontrolleur" nos bondes e ônibus ou "Schaffner" nos trens. Eles são os controladores de passagem e entram nos transportes públicos em grupos de três a cinco e passam conferindo se os passageiros tem bilhete de um por um. Caso  alguém não tenha, quando eles estiverem controlando, se ferrou. Além de ser convidado a sair do ônibus no exato momento, o individuo vai ser multado num valor de mais ou menos 60 Euros (o valor exato varia de cidade pra cidade, do tipo de transporte e se você não comprou mesmo ou esqueceu se ticket em casa. Ainda tem essa...



Resumindo, não é bem assim que a compra da passagem é opcional e as pessoas compram somente porque tem a consciência de que é o certo a se fazer. Compram porque contam com a possibilidade de encontrarem um controlador no caminho e faz muito mais sentido pagar entre 1,70 à 2,50 Euros do que correr o risco de pagar tão caro pela passagem. 

Quando minha mãe veio me visitar aqui, passou  15 dias circulando toda Bremen de ônibus, comprando passagem e não encontrou um só controlador durante todo esse tempo. Saiu daqui  também com a sensação de que a compra da passagem era opcional. Mas como vocês agora sabem, não é, portanto quando vierem a Alemanha procurem rapidinho se informar, de preferência logo na rodoviária quanto custa o bilhete. 
Existe uma variedade de opções também; desde os que valem por um dia inteiro aos que valem por um mês sem limite de quantas viagens fizerem. Existem bilhetes  individuais e família. Procurem  se informar logo na estação antes de desbravarem a cidade, porque como eu falei, nem sempre é fácil encontrar informação depois que se sai dos centros de movimento e para a mentalidade alemã ignorância não isenta ninguém das consequências. Ou seja, se for pego pelo controlador sem bilhete, dizer que não sabia, que não estava sinalizado, que o funcionário não explicou direito, não vai te livrar de receber a multa. Para o alemão se a informação está disponível em algum lugar, cabe a você descobrí-la e agir de acordo com ela.



Para um turista desavisado parece cruel, mas na vida prática tira o peso de muitas intituições e coloca o poder e responsabilidade diretamente nas mãos dos cidadãos. Então é isso, vou ficar por aqui e para todos vocês uma boa viagem!

Sonntag, 9. Januar 2011

Gente boa

Muita gente concorda que esses e mails corrente que circulam por aí com mensagem pps em anexo são um saco. Pouca gente ainda se dá ao trabalho de abrir essas mensagens, mas uma vez ou outra, convencidas pelo título da mensagem ou pela pessoa que a enviou, assim como muita gente, eu acabo abrindo algumas delas. Um tema bem popular entre esses powerpoints, é a indignação que alguns sentem com o Brasil e a admiração pelos países Europeus, onde segundo essas mensagens as coisas são sempre as mil maravilhas.

Apesar de amar tanto o Brasil quanto a Alemanha, procuro enxergar os dois países com olhos bem críticos. Na minha opinião nem um nem o outro é perfeito, mas dependendo de  certos valores pessoais e visão de mundo de cada um, a vida pode ser mais fácil aqui ou lá. O brasileiro, principalmente aquele que é certinho e cumpre seus deveres sociais, se sente frustrado com a falta de eficiência e transparência com as quais as coisas às vezes rolam no Brasil. Os que tem a chance de vir à Europa acabam se apaixonando. E parece que quanto menor a permanência maior a paixão, porque como turista, raramente dá tempo de ver além da perfeição das estradas, da pontualidade, das ruas limpas, das pessoas falando baixinho, da sensação de estar seguro na ruas onde não se vê criança pedindo nem ninguém sendo assaltado. No entanto, sou bastante cautelosa quanto a essas mensagens que deixam uma sugestão no ar de que a Europa está cheia de gente boa e civilizada e que o povo brasileiro é um bando de mau educado, mau intencionado e aproveitador.

Eu acho que o mundo está cheio de gente boa e gente ruim e essa distribuição obedece a um critério diferente que o simplesmente geográfico. Para mim gente boa ou gente ruim é mais uma questão de circunstância. Ser gente boa ou gente ruim depende da situação e não da nacionalidade. 
Tem um monte de brasileiro que não aguenta mais o Brasil, assim com tem um monte de alemão que não suporta a Alemanha. Conheço um monte que assim que pode, se mandou daqui e nem de férias quer voltar. Se existisse essa coisa de país perfeito ou gente boa, ninguém ia querer ir embora dessa terra de faz-de-conta e o resto do mundo, com certeza ia querer se juntar a eles.  

Esses conceitos de país perfeito e gente boa, se é que que isso existe, são relativos às necessidades de cada um. Pra quem tem de contar constantemente com o risco de ser assaltado, perfeito é andar na rua sem ter medo. Pra quem vive cercado de placas e regras, perfeito é poder agir com flexibilidade e espontaneidade.

Faz um certo tempo que uma amiga me mandou um desses e mails com uma mensagem de powerpoint em anexo, no quais maravilhas eram ditas sobre a Alemanha e onde se subtendia um certo desgosto pelo brasileiro. Neste mesmo e mail, minha amiga deixou bem claro que entendia que as coisas não são tão preto no branco assim e sugeriu uma brincadeira de verdadeiro ou falso. Resolvi aceitar a brincadeira como forma de oferecer minha contribuição na interminável tarefa de desconstruir esse esteresótipo de gente civilizada européia versus os mau educados dos trópicos. Aguardem os próximos posts...  

Samstag, 1. Januar 2011

Feliz ano novo

Sendo a otimista incorrigível que sou, todo início de ano entro na onda de acreditar que o ano novo vai ser melhor que o velho. Por saber que toda mudança começa com a gente mesmo, faço logo minha lista de coisas que devem melhorar no ano que acaba de começar. O final do ano passado e o início desse, no entanto, me pegaram meio sem inspiração e sem saber o que colocar nesta lista de coisas pra editar  no ano novo.


A princípio fiquei com uma sensação esquisita. Como assim não tenho nada pra colocar na minha lista?  Apesar de ser uma pessoa extremamente otimista, eu sei que 2010 não foi perfeito. O que acontece é que o corre corre e a rotina é uma verdadeira ladra de idéias para mim. Do fim do ano passado pra cá tenho me sentido cansada, sem inspiração e um pouco menos Cris.



Fui ouvir uma de minhas cantoras favoritas pra tentar me sentir melhor e me inspirar e foi certeiro: Ela soube resumir melhor do que ninguém o que eu espero que 2011 seja,  tanto para mim quanto para todas as pessoas que eu amo. 

Não quero deixar que a repetitividade do dia a dia atrapalhe minha criatividade e minha capacidade de me empolgar com coisas bobas. Esse ano vou tomar emprestado as lindas palavras de India Arie, cantora maravilhosa, pessoa inspirada e compositora talentosíssima. Que 2011 seja composto de 365 "beautiful days" para todos nós.

 
A Beautiful Day (India Arie)

Life is a journey not a destination
There are no mistakes, just chances we've taken
Lay down your regrets cause all we have is now

Wake up in the morning and get out of bed
Start making a mental list in my head
Of all of the things that I am grateful for

Early in the morning it's the dawn of a new day
New hopes new dreams new ways
 
I open up my eyes and
I open up my mind and
I wonder how life will surprise me today
Early in the morning it's the dawn of a new day
New hopes new dreams new ways
I open up my heart and
I'm gonna do my part and
Make this a positively beautiful day

It's a Beautiful Day

Life is a challenge not a competition
You can still smell the roses and be on a mission
Just take a moment to get in touch with your heart

Sometimes you feel like you've got something to prove
Remind yourself that there's only one you
Just take a moment to give thanks of who you are

Life is a journey, not a destination,
There are no mistakes, just chances we've taken
Lay down your regrets cause all we have is now